Por: Redação/Atlanticanews
22/06/2023 - 10:03:19

Desde pequena, Queila Sales Oliveira vivia a desenhar e rabiscar paredes e cadernos, criando seu ‘próprio mundinho no papel’ e apresentando sua arte em concursos escolares, como ela mesma conta. Hoje, aos 17 anos, a estudante do 3º ano do Colégio Estadual de Aurivaldina de Juazeiro, localizado no município baiano de Itamaraju, tem seu talento artístico reconhecido em outro continente. É que a jovem artista plástica teve duas telas de tinta a óleo inéditas selecionadas para expor, em outubro, no Salão Internacional de Arte Contemporânea – Le Carrousel Du Louvre de 2023, em Paris, na França. Queila viajará com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação do Estado (SEC).

As obras já viajaram ao Rio de Janeiro para o processo de curadoria e logo seguirão para a França. Tudo começou quando Queila resolveu elaborar um projeto e enviar seu portfólio artístico para a organização do Le Carrousel Du Louvre. Para a sua surpresa, foi selecionada. “Participar dessa mostra internacional é uma realização enorme e surreal. Significa que minhas obras podem atravessar oceanos. É um grande reconhecimento e privilégio para mim. Estou na maior expectativa para ver meu trabalho nesse evento do qual participam artistas incríveis”, declara.

A estudante levará para o salão em Paris sua pintura a óleo com a temática que mais se identifica: a flora e fauna brasileiras. “Gosto de pintar animais e pessoas e de juntar os dois, pois o ser humano e a natureza estão conectados em cada mínimo detalhe. Por isso, sou apaixonada em retratar pessoas e animais. Sou autodidata e em toda a minha trajetória errar e refazer têm sido meus aliados no aprendizado. Sempre me arriscando em telas enormes fez com que eu atingisse o nível de realismo que pinto hoje”, revela.

Trajetória nas artes

Queila começou a pintar em telas a partir de 2018, quando participou do concurso ‘Arte que faz Arte’, realizado na Câmara Municipal de Itamaraju. “Acabei ganhando em primeiro lugar, o que me motivou a me profissionalizar. E foi como uma escadinha, que me motivou cada vez mais a aprender. Antes, pintava com tinta de tecido, fazia flores, tentava pintar pessoas. Mas o que me encantou foi a pintura a óleo, técnica que me permite uma imensidão de detalhes e consigo chegar ao realismo e pintar qualquer coisa e pessoa. Sempre digo que eu capto as nuances de uma figura apenas com o pincel”, revela a jovem, que já foi premiada em outros tantos concursos em sua cidade e utiliza as redes sociais para divulgar suas telas, desenhos, dicas e seu curso de pintura on-line e presencial visando auxiliar outros artistas. 

No Colégio Estadual de Aurivaldina de Juazeiro, onde estuda, Queila já participa de projetos ligados às artes visuais, como a pintura, em novembro passado, de uma parede da unidade com o tema ‘Mulher na Consciência Negra’, em comemoração ao Dia da Consciência Negra. “A ideia de cada turma pintar uma arte foi da professora Andreia Montinho Jeanmonod. Fizemos em conjunto essa atividade, que foi muito criativa e divertida”, recorda. A diretora Aline Galisa conta que a escola também promove oficinas de artes plásticas e outras ações ligadas ao projeto Artes Visuais Estudantis (AVE), projeto estruturante da Secretaria da Educação do Estado.

Foto: Divulgação/SEC


Enquete

Eunápolis :2024 é ano de eleição municipal. Você votará para reeleger atual prefeita ou eleger outro (a) candidato (a)?




VOTAR PARCIAL