Por: Domingos Oliveira
15/08/2022 - 21:29:25

Após o jogo de domingo (14) pela terceira rodada do Campeonato Intermunicipal, as seleções de Itamaraju e de Prado se preparam para o confronto de volta, quarta-feira (17). Itamaraju (foto) venceu por 2x0 e assumiu a liderança do Grupo 14, com quatro pontos, ficando à frente de Eunápolis no critério saldo de gols. Já o time pradense sofreu a segunda derrota na competição.

Os gols da partida, no estádio Juarez Barbosa, foram marcados pelos atacantes Max (Caça Rato), no primeiro tempo, e Robinho, na etapa final. O segundo jogo entre as duas equipes também será disputado no Barbosão, desta vez com o mando de campo pertencendo aos itamarajuenses.

Para antecipar a classificação à segunda fase do Intermunicipal, a seleção de Itamaraju depende somente do empate, mas o técnico Sérgio Veloso pretende obter mais três pontos diante do adversário. Segundo o treinador, “disposição é o que não vai faltar na partida”.

Já a seleção pradense, para continuar brigando pela vaga à próxima fase, terá que arrancar pelo menos o empate no Barbosão. Após o segundo duelo com Itamaraju, a equipe volta a campo no próximo domingo (21) contra Eunápolis, também no Juarez Barbosa.

Belmonte vence a primeira  

Pelo Grupo 13, a seleção de Belmonte conquistou a primeira vitória após dois tropeços seguidos. Atuando em seus domínios, o time da Costa do Descobrimento goleou Itajú do Colônia por 3x0. Apesar do triunfo, Belmonte continua na “lanterna” da chave, com três pontos.

O líder do grupo é o selecionado de Camacan, que venceu Pau Brasil por 2x0, somando seis pontos. Pau Brasil e Itajú do Colônia dividem o segundo lugar, contabilizando quatro pontos.

Jogos da terceira rodada

Grupo 01 – Capim Grosso 2x2 Jacobina

Grupo 02 – Santaluz 1x1 Valente – Quijingue 2x1 Conceição do Coité

Grupo 03 – Riachão do Jacuípe 1x2 Retirolândia – Biritinga 1x0 Serrinha

Grupo 04 – Santo Estevão 0x1 Feira de Santana – Conceição da Feira 3x3 Serra Preta

Grupo 05 – Terra Nova 4x0 Araçás – Catu 1x0 Pojuca

Grupo 06 – Camaçari 2x2 Vera Cruz – Madre de Deus 0x0 Simões Filho

Grupo 07 – Santo Amaro 1x1 São Félix – Cachoeira 2x2 Saubara

Grupo 08 – Castro Alves 2x0 Santa Inês – Santo Antônio de Jesus 3x1 Nazaré

Grupo 09 – Camamu 2x1 Gongogi – Valença 3x0 Ibirapitanga

Grupo 10 – Jequié 1x0 Itapitanga – Coaraci 0x0 Ipiaú

Grupo 11 – Nova Canaã 3x1 Ibicuí – Vitória da Conquista 1x1 Poções

Grupo 12 – Itajuípe 4x0 Itabuna – Itapetinga 0x1 Uruçuca

Grupo 13 – Belmonte 3x0 Itajú do Colônia – Camacan 2x0 Pau Brasil

Grupo 14 – Prado 0x2 Itamaraju 

Por Domingos Oliveira (foto:divulgação/LFI)

 
 
 
 
 
 


Por: R7 ESPORTE
15/08/2022 - 08:52:23

Rubro-Negro carioca ainda não foi derrotado sob o comando do treinador em seus domínios e tem a defesa como ponto forte.

Que o desempenho do Flamengo desde a chegada do técnico Dorival Júnior ao comando aumentou exponencialmente ninguém nega, mas os números mostram o alto nível atingido pela equipe.

Após a goleada sobre o Athletico Paranaense, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro 2022, o time carioca mostrou novamente sua força atuando como mandante..

Com Dorival, em 10 partidas 'em casa', o Flamengo venceu nove e empatou apenas uma, contra o próprio Furacão, pela Copa do Brasil. Não perdeu nenhuma vez.

Dorival Júnior ao lado de Felipão, no Maracanã

Dorival Júnior ao lado de Felipão, no Maracanã

MARCELO CORTES/FLAMENGO



Por: Redação Esporte no Mundo
11/08/2022 - 15:08:20

Nesta quarta, o Vélez Sársfield venceu o Talleres por 1 a 0 no estádio Mario Alberto Kempes, em Córdoba, na Argentina, e garantiu a classificação para a próxima fase do torneio. Na ida, “El Fortín” já tinha vencido por 3 a 2, e com gol de Julián Fernández garantiu a vaga no jogo de volta. O Vélez Sársfield retorna a uma semifinal de Libertadores após 11 anos. O time campeão do torneio em 1994 conta com jogadores conhecidos do futebol brasileiro, como Diego Godín e Lucas Pratto. 

Nesta edição da Libertadores, o Vélez Sársfield passou em segundo no Grupo C, que ainda contava com Estudiantes, Nacional-URU e Red Bull Bragantino. Nas oitavas, o time eliminou o River Plate com uma vitória na ida e um empate no Monumental de Núñez.

Flamengo e Vélez Sársfield vão se reencontrar na Libertadores. Na edição de 2021, as equipes caíram no mesmo grupo, com o Rubro-Negro ganhando na Argentina por 3 a 2 e empatando no Maracanã por 0 a 0. Além dos confrontos do ano passado, as equipes se enfrentaram outras oito vezes ao longo da história por competições oficiais. Contando todos os duelos, foram seis triunfos do time carioca, dois empates e duas vitórias do clube argentino. As semifinais da Libertadores estão marcadas para as semanas de 31 de agosto e 7 de setembro. 

 

O primeiro jogo será no estádio José Amalfitani, em Buenos Aires, enquanto a volta será no Rio de Janeiro, no Maracanã.



PUBLICIDADE


Por: Domingos Oliveira
09/08/2022 - 14:51:04

Jogando em casa neste domingo (07), no estádio Araujão, a seleção de Eunápolis derrotou a de Prado por 2x1 e assumiu provisoriamente o primeiro lugar no Grupo 14 do Intermunicipal.  

O time passa a somar quatro pontos contra um de Itamaraju, segundo colocado na chave. Já a seleção pradense, sem pontuar, ocupa a lanterna no grupo.

 

Os dois times voltam a se enfrentar no dia 21, no estádio Barbosão, em Itamaraju. Antes, no próximo domingo (14), no mesmo local, Prado joga com a seleção Itamarajuense.

 

Belmonte perde mais uma

 

Pelo Grupo 13, também atuando neste domingo, a seleção de Belmonte sofreu a segunda derrota no campeonato. jogando em Camacan, o time perdeu por 2x0 e mantém-se em último lugar na chave, com zero ponto.

 

Pau Brasil e Itaju do Colônia, que empataram por 0x0, dividem a liderança, somando cada quatro pontos. Já o time de Camacan, com a Vitória, é o terceiro colocado, com três.

 

Na próxima rodada, pela chave, Belmonte volta a atuar em casa, contra Itaju do Colônia, precisando da vitória para respirar no Intermunicipal. O outro jogo será entre Camacan e Pau Brasil.

 

Por Domingos Oliveira (foto FBF)



Por: Jornal Digaí Feira
09/08/2022 - 07:58:45

 

À primeira vista, o nome de Joselias da Conceição Pereira pode até passar despercebido. Quem acompanha o futebol baiano, no entanto, sabe muito bem quem é Edinho Jacaré ou, simplesmente, Edinho, lateral multicampeão baiano com a camisa azul, vermelha e branca do Esporte Clube Bahia. Poucos jogadores podem apresentar um leque tão amplo de títulos pelo tricolor: tetracampeão baiano (1981-1984), depois tricampeão (1986-1988), Edinho ostenta também o título mais importante da História recente do Bahia: o de campeão brasileiro de 1988, quando compôs o elenco que, entre outros craques, reunia Bobô, Charles, Zé Carlos e Paulo Rodrigues. São, portanto, oito títulos ao longo de nove temporadas defendendo o Esquadrão de Aço (1981-1989) e 552 jogos. À frente de Edinho com mais partidas pelo Bahia, só o carismático ídolo Baiaco e o campeão brasileiro de 1959, Henrique.

 

A entrevista para a equipe do Digaí Feira aconteceu na residência do ex-lateral, no bairro Jardim Cruzeiro. 

 

O papo começou, óbvio, com as recordações do segundo título brasileiro do Tricolor de Aço. O vídeo do primeiro jogo da final, contra o Internacional de Porto Alegre, em Salvador, está disponível no YouTube. A partida foi brigada, até mesmo feia. Edinho concorda:

“Era para ser um jogo feio mesmo na final. O gol do Internacional, logo no começo, obrigou a gente a ir pra cima do adversário. Conseguimos nos impor na partida e, no começo do segundo tempo, Bobô fez o gol da virada. Pra mim, aquele foi o gol mais bonito que já vi”, brinca o lateral, que disputou aquela partida substituindo o lateral-esquerdo Paulo Róbson, suspenso. De bico e na raça, o gol de Bobô garantiu o placar de 2×1 e a vantagem do Bahia na partida de volta.

Em Porto Alegre, em 19 de fevereiro de 1989, o Bahia segurou o 0x0 e garantiu o segundo título brasileiro de sua História. Edinho recorda a comemoração e até os passeios programados para a segunda-feira seguinte, que foram cancelados: “A gente foi comunicado que logo na terça-feira haveria a estreia na Libertadores, contra o Internacional, no Beira-Rio. Voltamos a campo e vencemos mais uma vez”, recorda o lateral, que também entrou como titular naquele jogo.

 

Clima na Fonte

 

Veterano de títulos e de partidas na antiga Fonte Nova, Edinho define com uma palavra como era percorrer o antigo túnel que dava acesso ao gramado em jogos com as arquibancadas lotadas: “Indescritível”. “Arrepia o corpo todo. A gente ficava ansioso, doido para começar o jogo logo. A gente ia pra cima do adversário empurrado pela torcida”, relembra o ex-lateral tricolor.  Os clássicos contra o Vitória tinham um sabor especial: “Era sempre muito mais tenso. Havia provocações dos dirigentes na imprensa e havia todo aquele clima, a mandinga dos torcedores, como Lourinho e Alemão”, recorda, citando dois emblemáticos torcedores tricolores.

 

Como as regras disciplinares eram mais frouxas, sempre havia confusão contra o arquirrival. “Briga em campo era comum”, relembra. O fato dos elencos serem mais estáveis e os clássicos aconteceram com muita frequência contribuíam para as rixas. “Paulo Maracajá (ex-presidente do Bahia) pagava ‘bicho’ dobrado até quando o jogo contra o Vitória era amistoso”.

 

Viagens

 

Edinho chegou ao Bahia depois de se destacar pelo Leônico, em 1980. Junto com ele foram Sabino, Marcelo, Ricardo Longhi e Léo Oliveira. “Quando chegamos no Bahia, Maracajá disse que a gente estava indo fazer história”, relembra. Logo na primeira temporada, sagrou-se campeão baiano e se firmou na lateral direita. Polivalente, jogava também na lateral esquerda, facilitando com sua versatilidade a vida dos treinadores que passaram pelo Bahia naquela década.

 

No começo, a rotina impunha a necessidade de se deslocar de Salvador para Feira de Santana para rever a família após os jogos. Depois, o Bahia alugou um apartamento na Pituba para Edinho e  a família. A rotina de atleta, no entanto, exigia viagens constantes Brasil afora.

 

 “Só não joguei no Tocantins e no Rio Grande do Norte”, informa. Na Libertadores de 1989, chegou a visitar Venezuela e Peru jogando pelo Esquadrão.

 

Naquela época, eram comuns amistosos com seleções do interior baiano e contra equipes de estados do Norte e do Nordeste. “Há jogador que escolhe partida para jogar. Nunca fui disso. Sempre estava em campo”, explica, apontando uma das razões para ser um dos recordistas de jogos pelo Bahia.

 

Adversários

 

Na época em que os pontas se destacavam pela qualidade, Edinho enfrentou alguns adversários que deixaram lembranças. “O melhor ponta-esquerda que enfrentei foi Zé Sérgio”, aponta. Além do ponta-esquerda do Santos, Edinho destaca Edu, também ex-santista, que enfrentou jogando pelo Bahia contra o Nacional de Manaus, na capital amazonense.

 

Éder – titular naquela marcante Seleção Brasileira de 1982 – foi adversário só uma vez, em 1984, no célebre jogo em que o Bahia venceu o Atlético Mineiro depois de 29 anos. “Foi um jogo tenso, mas o Bahia venceu por 2×0. Acabei expulso numa disputa de bola com Éder”, recorda. Na lateral-esquerda, o adversário mais incômodo foi o ponta-direita Mário Tilico: “Me deu uma canseira danada. Jogava com uma velocidade que não dava para acompanhar”.

 

Nos anos 1980 era difícil enfrentar o Flamengo, sobretudo no Maracanã, recorda Edinho. “Era um time excelente”. Pressão da torcida, no entanto, era no Pacaembu, em São Paulo: “Palmeiras e Corinthians era difícil de enfrentar lá, a torcida empurrava o time. Era ainda pior quando era o Corinthians”, garante, referindo-se ao histórico estádio da capital paulista.

 

Depois de jogar pelo Bahia e Leônico, Edinho também defendeu a Jacuipense, já no fim da carreira, no começo dos anos 1990. Além, claro, do Fluminense de Feira, onde começou a despontar para o futebol na segunda metade dos anos 1970. Voltou a defender o Touro do Sertão em 1992, compondo o elenco que foi vice-campeã brasileira da Série C. A derrota para a Tuna Luso foi a maior decepção de sua carreira. “Queria muito encerrar a carreira com aquele título”.

 

A família tem tradição no esporte: além de Edinho, seus irmãos Evaldo, Escurinho e Zelito se destacaram no meio-campo do Fluminense de Feira e de outras equipes baianas. Não era difícil os irmãos se enfrentarem nos estádios baianos ao longo das décadas de 1980 e 1990.

 

Depois de pendurar as chuteiras, Edinho treinou equipes como o Astro e a Seleção de Feira no Intermunicipal, além de disputar torneios de veteranos, jogando até nos Estados Unidos. Hoje, aos 66 anos, ainda considera a hipótese de voltar a trabalhar com o futebol.

 

 “Estou mantendo contato com o Bahia para participar de alguma capacitação”, informa.

Revelado no Campo do Osso – antigo campo de várzea ao lado do Joia da Princesa – Edinho jamais imaginou que se tornaria o primeiro – e único – feirense campeão brasileiro por um clube baiano. Sobre a possibilidade do feito voltar a acontecer com outro atleta local, ele pondera que o Campeonato Brasileiro se tornou uma competição mais difícil, mas, mesmo assim, não descarta a possibilidade: “Não dá para dizer que é impossível, embora seja difícil”, reconhece.

Fotos: Luiz Tito Edinho Jacaré



Por: Pimenta Blog
04/08/2022 - 14:56:08

Os representantes do sul da Bahia começaram muito bem o Mundial de Canoagem Velocidade, que está sendo realizado em Halifax, no Canadá. Isaquias Queiroz foi imbatível nesta quarta-feira (3). Ele foi o mais rápido da 3ª bateria da eliminatória, terminando o percurso do C1 500 metros em apenas 1min52s70, ficando à frente do italiano Carlo Tacchini e do polonês Aleksander Kitewski.

Com o resultado, o atleta de Ubaitaba foi direto para a final da competição, que acontecerá no sábado (6). “A gente chegou aqui analisando a questão do vento. A primeira largada, eu queimei, dai dei uma “seguradinha” na saída. Saí mais atrás e final eu dei um gás. Agora é descansar e pensar nas próximas provas” disse Isaquias.

Esta quarta-feira foi dia de estreia. A dupla formada por Erlon de Souza e Filipe Santana Vieira iniciou a largada em competições internacionais por volta do meio-dia para disputar o C2 500 metros. Eles tiveram dificuldades no início da prova, mas conseguiram avançar bem.

A dupla do sul da Bahia terminou o percurso na eliminatória em 1min43s67 segundos, apenas 0.91s, atrás dos primeiros colocados, a dupla italiana formada por Nicolae Craucin e Daniele Santini. Erlon é de Ubatã e Filipe é de Ubaitaba, mesma cidade de Isaquia Queiroz, que já fez dupla com Erlon.

Com o resultado desta quarta, eles garantiram vaga para a disputa da semifinal. “Foi uma prova muito boa. Fizemos um sprint final muito bom. A gente viu que existe uma possibilidade de estarmos em uma final. O barco está bem. Agora vamos ver os tempos nas outras eliminatórias para analisar a nossa posição”, explicou Erlon.

Filipe Vieira destacou a prova de recuperação que fizeram. “É a primeira que competimos juntos. Fomos fortes. Tivemos uma pequena dificuldade no início, mas deu para perceber que temos nível para chegar em uma final”, avaliou Filipe.



PUBLICIDADE


Por: Domingos Oliveira
01/08/2022 - 14:48:13

Com a presença da cúpula da FBF (Federação Bahiana de Futebol), aconteceu neste domingo (31/07) em Itamaraju a abertura oficial do Campeonato Intermunicipal, que esteve parado desde 2020, por causa da pandemia da Covid 19. Em campo, os dois últimos campeões do Intermunicipal – Itamaraju e Eunápolis – empataram por 1x1.  

Apesar da chuva, as duas equipes começaram o jogo em ritmo acelerado. Tanto, que logo aos 10 minutos a seleção visitante abriu o marcador com Ed, que aproveitou a sobra de bola para colocar Eunápolis em vantagem no placar.

 

Entretanto, a alegria da torcida eunapolitana durou pouco tempo, porque circo minutos depois o "prata da casa" Vitamina empatou a partida. No segundo tempo ambos os times não  tiveram a mesma disposição, e o resultado do jogo no estádio Juarez Barbosa foi Itamaraju 1x1 Eunápolis.

 

Em busca da taça 

 

Treinada por Sérgio Veloso,  a seleção de Itamaraju – campeã em 2002, 2004, 2018 e 2019 – entra na disputa do Campeonato Baiano de Futebol Intermunicipal Ednaldo Rodrigues Gomes em busca do quinto título. Entretanto, devido à demora no fechamento do elenco, o time começou a se preparar para a competição no meado de julho, o que dificultou o entrosamento dos jogadores do time.

 

Já a equipe de Eunápolis, campeã em 2017, é dirigida por Marcos Correia, vice-campeão em 2019 por Itapetinga. Com uma formação de atletas experientes, o clube é um dos favoritos ao título em 2022.

 

Com um ponto conquistado fora de casa, Eunápolis volta a campo no próximo domingo em seus domínios contra Prado, que completa o Grupo 14 do Intermunicipal. Já a seleção itamarajuense fará o próximo jogo no dia 14, em Prado.

 

Classicos e goleadas 

 

No complemento da rodada inicial da competição foram realizadas outras 25 partidas, apresentando três goleadas marcantes: Nova Canaã 5x2 Poções, Santo Estevão 4x0 Conceição da Feira e Serrinha 4x0 Retirolândia. 

 

Além do jogo Itamaraju 1x1 Eunápolis, outros dois grandes clássicos regionais marcaram a rodada: Santo Amaro 2x0 Cachoeira e Itajuípe 1x0 Uruçuca.

 

Confira todos os resultados:

 

Grupo 01 – Mairi 1x1 Capim Grosso 

 

Grupo 02 – Santaluz 1x0 Quijingue – Valente 0x0 Conceição do Coité 

 

Grupo 03 – Serrinha 4x0 Retirolândia – Biritinga 2x1 Riachão do Jacuípe 

 

Grupo 04 – Feira de Santana 1x1 Serra Preta – Santo Estevão 4x0 Conceição da Feira

 

Grupo 05 – Araçás 0x2 Pojuca – Terra Nova 2x1 Catu 

 

Grupo 06 – Camaçari 0x3 Simões Filho – Vera Cruz 1x3 Madre de Deus 

 

Grupo 07 – Santo Amaro 2x0 Cachoeira – São Félix 1x1 Saubara 

 

Grupo 08 – Santa Inês 0x1 Santo Antônio de Jesus – Castro Alves 0x0 Nazaré

 

Grupo 09 – Camamu 0x0 Ibirapitanga – Gongogi 1x0 Valença 

 

Grupo 10 – Itapitanga 0x2 Ipiaú – Jequié 1x0  Coaraci  

 

Grupo 11 – Ibicuí 0x1 Vitória da Conquista – Nova Canaã 5x2 Poções 

 

Grupo 12 – Itajuípe 1x0 Uruçuca – Itabuna 1x2 Itapetinga 

 

Grupo 13 – Belmonte 1x2 Pau Brasil – Itaju do Colônia 2x1 Camacan 

 

Grupo 14 – Itamaraju 1x1 Eunápolis 

 

Por Domingos Oliveira (fotos: FBF)



Por: Walter Casa Grande-Uol
20/07/2022 - 13:08:54

  Sou muito crítico à alienação dos jogadores brasileiros há muito tempo, porque venho da Democracia Corintiana e sei bem qual a importância dessas vozes no país do futebol. Mas a geração atual é muito egoísta, porque só se manifesta quando é por interesse próprio, sem levar em consideração a situação do país nos últimos anos.

A nossa democracia está sendo covardemente atacada e temos ameaças de golpe diariamente. Não acredito que todos os jogadores brasileiros de futebol concordem com isso.

 

Nos últimos anos, tivemos diversas provas desse egoísmo social. Começando pela pandemia: pouquíssimos jogadores se posicionaram em relação à importância das vacinas, do uso de máscaras e da segurança do isolamento social. E, ainda pior, boa parte se comportou muito mal. Diversos jogadores foram vistos em festas clandestinas, cassinos (que, não custa lembrar, são estabelecimentos ilegais no Brasil), sem máscaras... enfim, dando apenas maus exemplos.

 

Depois veio o absurdo da Copa América de 2021, que seria realizada na Argentina e na Colômbia. Mas os dois países desistiram de sediar a competição exatamente por causa da covid-19, situação que ainda foi agravada pela crise política colombiana. Mas aí o ex-presidente da CBF, Rogério Caboclo, depois acusado de assédio moral e sexual, recorreu a um forte aliado contra a nossa saúde. E trouxeram a competição para cá.

 

Enquanto morriam por dia umas duas mil pessoas, a bola iria rolar e os jogadores, sem nenhuma atitude, aceitaram entrar em campo. Até fizeram um manifesto que quase ninguém lembra, de uma só palavra naquele pedaço de papel. E com a boca fechada, jogaram bola, com a certeza de que ganhariam o título, o que não aconteceu. Perdemos de 1 a 0 para a Argentina na final, e de 7 a 1 para a ignorância. Eles deveriam ter tido atitude, e não um pedaço de papel.

 

Nos últimos meses, calaram-se sobre os ataques aos ônibus dos times, ameaças de morte às suas famílias e, agora, invasão de campo. E os jogadores? NADA!

 

A situação mais constrangedora foi o silêncio no caso Robinho, condenado a nove anos de prisão na Itália por estupro. Nenhum jogador mostrou solidariedade à garota que quase virou vilã dessa história. E olha que muitos são casados e têm filhas. Mesmo assim, nenhuma palavra.

 

Agora estão se manifestando com razão: lutar pela classe é um direto de todo trabalhador. Só que, antes disso, alguns mostraram solidariedade ao jogador Lucas Crispim, afastado pelo Fortaleza porque, mesmo com mais uma derrota do seu time, decidiu fazer sua festa de aniversário. Achei a punição absurda, mas o que me incomoda é que por causa do divertimento, alguns se manifestam.

 

Róger Guedes, do Corinthians, e Rodinei, do Flamengo, protestam contra a Lei Geral do Esporte, que muda direitos trabalhistas

 

Neymar puxou a fila dos revoltados com essa situação, mas é óbvio que a sua revolta pelo colega é porque ele, nos últimos anos, fez muita festa e jogo de pôquer. Gols decisivos e importantes, NADA!

 

(Vamos lá: a vida do jogador de futebol atual é muito desgastante, apesar de os atletas ganharem muito bem, e merecidamente. Eles têm todo o direito à diversão, inclusive com a família, embora alguns pensem que eles deveriam viver da casa para o campo e do campo para casa.)

 

Todos têm o direito ao entretenimento, mas os jogadores deveriam se preocupar também com o que está acontecendo na sociedade. E aí seria injusto, da minha parte, não destacar Richarlison (agora no Tottenham) e Richarlyson (agora comentarista), além do ótimo centroavante do Santos, Marcos Leonardo, que defendeu o Cássio de uma agressão covarde na Vila Belmiro.

 

Espero que as coisas comecem a mudar em breve. Que os nossos jogadores percebam a importância de serem defensores da democracia e de se colocarem como bons exemplos. Chega de racismo, homofobia e machismo na nossa sociedade, e nos nossos estádios também.

 



Por: Domingos Oliveira
17/07/2022 - 20:59:43

O maior campeonato de futebol amador do Brasil retorna em 2022 após dois anos sem atividade. A largada será no próximo dia 31, com a participação de 54 seleções baianas divididas em 14 grupos.

Na primeira fases, 12 chaves terão quatro times e duas serão integradas por três agremiações. Os jogos serão de ida e volta entre os participantes de cada grupo.

A programação do Campeonato Baiano de Futebol Intermunicipal foi apresentada na noite deste sábado (16), em Salvador, durante o Congresso Técnico do Intermunicipal, com a presença de representantes da FBF (Federação Bahiana de Futebol), promotora da competição, e de dirigentes das ligas inscritas para a competição.

 

Este ano, o extremo sul baiano terá apenas quatro representantes. Belmonte pega "carona" no Grupo 13,  junto à Camacan, Itaju do Colônia e Pau Brasil, que fazem parte do Sul do Estado. Belmonte fará estreia em casa contra Pau Brasil.

De acordo com o regulamento do campeonato, 40 seleções se classificam para a segunda fase, ficando apenas 14 para trás. A partir daí, a competição terá o sistema 'mata-mata', com jogos de ida e volta.

A decisão do Intermunicipal está prevista para o dia 13 de novembro. O campeão receberá o troféu Ednaldo Rodrigues Gomes, em homenagem ao ex-presidente da FBF e atual comandante da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

 



PUBLICIDADE


Por: Domingos Oliveira
13/07/2022 - 19:47:19

Ao notificar os profissionais de imprensa sobre o evento, a FBF (Federação Bahiana de Futebol) confirmou nesta terça-feira (12) a realização do Conselho Técnico do Intermunicipal no próximo sábado (16), em Salvador.

Radialistas e jornalistas interessados em participar do encontro devem se cadastrar até às 20h de quinta-feira (14).

 

A abertura do Intermunicipal está prevista para o dia 31, provavelmente em Itamaraju, atual campeão da competição, que teve a sua última edição realizada em 2019.

 

Embora a FBF não tenha confirmado, há informações de que o campeonato terá a participação em 2022 de 64 seleções, divididas na primeira fase em 16 grupos.