Por: Assessoria de comunicação - Saude
09/05/2024 - 22:15:18

Há quase uma semana, os profissionais de saúde enviados pela Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) atuam no atendimento às vítimas das chuvas que atingem o Rio Grande do Sul. A comitiva baiana conta com o médico emergencista Walbert Alcoforado, a enfermeira emergencista Amanda Dantas, o sanitarista do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) Edson Ribeiro, e a sanitarista da Vigilância Ambiental Ademildes Campos.

Juntos, eles reforçam o atendimento à população que sofre com os temporais e alagamentos que já devastaram boa parte de Porto Alegre e cidades da região e, segundo a Defesa Civil do Rio Grande do Sul, deixaram 107 mortos, 136 desaparecidos e 374 feridos.

"A grande maioria das vítimas que auxiliamos estava com quadros de hipotermia e com a saúde mental bastante abalada. Iniciamos os trabalhos com o resgate das vítimas nas regiões de El Dourado, Guaíba, Pontal e Menino de Deus. Neste momento de desastre climático, o Governo da Bahia se junta à população do Rio Grande do Sul para salvar o maior número possível de vidas", relata a enfermeira Amanda Dantas, que já participou de missões humanitárias como a Missão Yanomami e a Missão Repatriados da Faixa de Gaza.

Atuando no município de Caxias do Sul, o sanitarista Edson Ribeiro explica que a equipe de vigilância epidemiológica tem realizado um trabalho de análise do cenário do desastre e pós-desastre, buscando estratégias para minimizar os impactos da tragédia. "Estamos atuando juntamente com as equipes de vigilância epidemiológica de Caxias do Sul e do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde municipal, trocando experiências e trazendo esse conhecimento que adquirimos na atuação durante as chuvas que atingiram o Extremo Sul da Bahia em 2021. Já estamos em um momento de pós-desastre e, para a vigilância em saúde, a preocupação começa a partir de agora, com a preparação do sistema de saúde que vai receber a população com o que chamamos de doenças emergentes, as arboviroses, hepatites, leptospirose", explica.  

 

Médico veterinário de formação, Edson também já atuou no apoio à triagem clínica e acolhimento dos animais resgatados em Bento Gonçalves. "Realizamos a triagem desses animais e os que precisavam de atendimento ou cirurgias foram encaminhados pela prefeitura para a clínica para fazer o atendimento e, depois, eram encaminhados para abrigos", conta.

 

Para a secretária da Saúde da Bahia, Roberta Santana, a Bahia não poderia ficar de fora da força-tarefa que tem se formado diante da crise na região Sul do país. “Estaremos juntos nessa missão para levar saúde para quem mais precisa. Para isso, disponibilizaremos profissionais e todo o aparato necessário para garantir a dignidade dessas pessoas que estão sofrendo com as fortes chuvas e alagamentos em diversas cidades do Rio Grande do Sul”, garante Santana.

 

Força-tarefa

 

Desde a última semana, a Ministério da Saúde instalou o Centro de Operações de Emergência (COE) para chuvas intensas e inundações na região. As equipes da Força Nacional do SUS também chegaram ao estado para reforçar o atendimento em saúde. Na última quarta-feira (8), 44 novos integrantes da Força Nacional do Sistema Único de Saúde, além de reforços para equipes da Conab, que lida com a entrega e armazenagem de cesta de alimentos, e de integrantes da Polícia Rodoviária Federal e do Corpo de Bombeiros, chegaram ao município de Canoas.

 


Enquete

Qual país tem o melhor sotaque?









VOTAR PARCIAL