Por: IG e-mail Delas
18/10/2023 - 19:54:18

Melasma é uma doença multifatorial e união entre cuidados preventivos e tratamentos em casa e no consultório é fundamental para um controle eficaz das manchas.

Melasma exige cuidados em casa e no consultório

Reprodução/Pinterest

Melasma exige cuidados em casa e no consultório

Caracterizado por manchas acastanhadas de bordas irregulares que surgem principalmente em áreas fotoexpostas, como a testa e a região malar, o melasma figura entre as condições de pele mais comuns no Brasil: segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Dermatologia, atinge cerca de 35% das mulheres do país, podendo ser considerado uma verdadeira epidemia brasileira.

“O melasma é uma doença que causa o aumento da produção de melanina (pigmento que dá cor à pele) pelos melanócitos (células da pele que produzem a melanina). Afeta majoritariamente mulheres, especialmente gestantes ou que fazem uso de medicamentos contraceptivos hormonais. No entanto, homens também podem desenvolver a condição. E, ainda que não represente um risco significativo para a saúde, o melasma pode gerar um grande desconforto estético”, explica Danilo S. Talarico, médico pós-graduado em Tricologia Médica e Cirurgia Capilar. E, apesar de ter tratamento, que é focado no controle das manchas, o melasma é considerado uma doença crônica, logo, não tem cura e o tratamento não é definitivo. Logo, a prevenção é a melhor estratégia para lidar com o problema.

Cuidados preventivos

O melasma é uma doença multifatorial, com diversos mecanismos de ação envolvidos que devem ser levados em consideração no combate à condição. Nesse sentido, o principal fator desencadeante do melasma é, sem dúvida, a radiação ultravioleta do sol.

“A radiação solar estimula os melanócitos a produzirem melanina, pigmento que dá cor à pele e causa as manchas. Além disso, alguns estudos têm apontado a luz visível, como aquela emitida por dispositivos eletrônicos, como outro fator desencadeante do melasma”, diz Cláudia Merlo, médica especialista em Cosmetologia pelo Instituto BWS.

Logo, o carro-chefe contra o melasma é o uso diário de protetor solar. “O ideal é optar por um filtro solar mineral com cor, pois é capaz de proteger a pele contra os danos dos três grandes agressores do melanócito: os raios ultravioletas, os raios infravermelhos e a luz visível”, recomenda Danilo Talarico.

Hormônios e a genética também entram na equação do desenvolvimento do melasma. “Pacientes com histórico familiar da doença têm maior chance de sofrer com as manchas do melasma e, por isso, devem redobrar os cuidados preventivos. O mesmo vale para grávidas e pessoas que fazem uso de anticoncepcionais devido à ação dos hormônios femininos no estímulo da pigmentação da pele”, afirma o dermatologista Renato Soriani, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e expert em tecnologias dermatológicas.

 


Enquete

Eunápolis :2024 é ano de eleição municipal. Você votará para reeleger atual prefeita ou eleger outro (a) candidato (a)?




VOTAR PARCIAL