Por: G1
27/02/2024 - 06:42:08

O segundo acusado de matar Bruno Lino, gerente de uma pousada no sul da Bahia, em fevereiro de 2020, foi condenado a 21 anos de prisão em regime fechado nesta segunda-feira (26). A sentença contra Jailson da Cruz foi proferida no Fórum de Canavieiras, no extremo sul do estado.

Familiares e amigos da vítima acompanharam o julgamento e levaram faixas com pedidos de justiça, que foram colocadas na parte externa do fórum. Os pais de Bruno Lino ficaram abalados ao saber os detalhes das evidências que ligavam o acusado ao crime.

Jailson da Cruz, condenado nesta segunda, estava preso desde 2020 após depoimentos de testemunhas . Já em agosto de 2021, também em Canavieiras, ocorreu a prisão de outro homem investigado pelo crime: Társio Costa de Jesus. Não há detalhes, no entanto, se o inquérito policial o indiciou pelo crime.

Em agosto de 2022, Erionaldo da Cruz dos Santos, primeiro acusado de matar Bruno Elino, foi condenado a 21 anos de prisão em regime fechado, por homicídio triplamente qualificado. Ele foi preso no mesmo ano do assassinato e logo após o corpo do gerente ser achado.

Quando Bruno Lino foi morto, Erionaldo namorava com a proprietária do estabelecimento. Segundo a acusação, ele teria ficado com ciúmes da participação de Bruno nas decisões administrativas da pousada.

Depois do crime, a dona da pousada, que é natural da Alemanha, foi ouvida e liberada. A mulher, que não teve a identidade revelada, não foi apontada pela polícia como suspeita de participação.

Em seguida, ela passou a ser suspeita de atuar como mandante da morte de Bruno. Não há detalhes sobre as evidências que levaram a essa suspeita, a polícia informou apenas que ela fugiu do Brasil e é procurada.

Relembre o caso

O corpo de Bruno Lino foi encontrado amarrado em uma praia de Canavieiras um dia depois de desaparecer. No dia 5 de fevereiro de 2020, ele foi visto saindo da pousada onde trabalhava no carro dele. O último contato com conhecidos foi feito por volta das 18h do dia 5.

O corpo do gerente foi achado no dia 6 de fevereiro, com uma lesão na região da testa e sinais de sangramento. De acordo com a Polícia Civil, a vítima administrava uma pousada que pertencia a um casal alemão.

Quando o casal alemão se separou, o homem voltou para a Alemanha e a mulher ficou em posse da pousada, mas Bruno Lino tinha uma procuração com total poder para administrar o local, o que teria causado a insatisfação dos acusados, a ponto de causar o homicídio.

Foto: Reprodução/TV Santa Cruz


Enquete

Itapebi: 2024 é ano de eleição municipal. Você votará para reeleger atual prefeito ou eleger outro (a) candidato (a)?




VOTAR PARCIAL