Por: Ascom - MST
30/06/2020 - 23:41:42

“A solidariedade torna-se a principal arma para combate à pandemia e acende a esperança nas pessoas, nós que amamos a revolução acreditamos e cultivamos esse princípio dentro do nosso movimento, que alimenta o corpo e a alma”, ressalta Gabriela Lopes, da direção estadual do MST.

Neste espírito de solidariedade e entusiasmo que as famílias Sem Terra do MST no extremo sul da Bahia das áreas de assentamentos e acampamentos da região no distrito de São Francisco e Pau Rancado, no município de Prado, organizaram doação de 4,5 toneladas de alimentos produzidos agroecologicamente para as famílias em vulnerabilidade no município, dando a todos o direito de consumir alimento saudável produzido pela reforma agrária, como legumes, verduras, frutas, hortaliças, leite, além de produtos de limpeza, máscaras, entre outros.

Uma das principais consequências da prática da solidariedade é que ela nos permite criar movimentos que incentivam o cuidado mútuo dos indivíduos e a construção de um mundo mais justo. Para nós a solidariedade é um valor que faz parte do Movimento que sempre partilha o que tem, não o que sobra. E isso a diferencia do termo “caridade” feita por empresas e grupos econômicos, pois “solidariedade é levar muito mais do que alimentos, é levar a ternura do debate da reforma agrária, que nós nos assentamentos produzimos alimentos saudáveis”, conclui Lopes.

Importante ressaltar que durante todo o processo da campanha, desde os assentamentos até a distribuição, o Movimento seguiu as orientações de cuidado com a saúde, especialmente nesse período da pandemia do Covid 19, sem fazer aglomerações, sempre usando as máscaras e higienizando as mãos, bem como os materiais utilizados.

Doação de sangue

Em outra ação de solidariedade muito importante que ocorreu na manhã de segunda feira (29), mulheres do MST doaram sangue no Hemoba de Eunápolis, no extremo sul da Bahia. Integrantes do movimento participaram da campanha de doação de sangue para manutenção da vida. De forma adequada, evitando aglomerações, utilizando máscaras e álcool para higienização das mãos.

Na Bahia, as famílias do MST já fizeram ações de solidariedade em diversos municípios. E muitas outras atividades estão planejadas para o próximo período.

De acordo com a direção do MST, a iniciativa é um ato para salvar vidas e enfatiza que “esta ação é simbólica para o MST, diante da realidade no campo, onde o sangue dos trabalhadores e trabalhadoras muitas vezes é derramado injustamente pelas mãos sujas do latifúndio. Nesse momento ele é doado para quem mais precisa”, afirma.

As ações se somam ao conjunto de atividades de solidariedade que o MST tem protagonizado no estado da Bahia e em todo o país com o lema “Reforma Agrária contra a impunidade, produzindo alimentos por campo e cidade!”.


Enquete

Bolsonaro vetou obrigatoriedade de máscara em órgãos públicos, estabelecimentos comerciais e industriais, templos religiosos e locais fechados, mas não tem valor sobre decretos estaduais e municipais. O que você achou da decisão?




VOTAR PARCIAL