Por: Redação / atlanticanews
18/03/2020 - 20:46:04

O bispo Dom José Edson emitiu nota nesta terça-feira (17) comunicando a suspensão de algumas atividades da Igreja católica no território da diocese de Eunápolis, que abrange 46 paróquias e quase-paróquias.

“Comunico a suspensão de todos os encontros que promovam a aglomeração de pessoas, tais como: encontros pastorais, atividades da catequese, atividades dos movimentos e dos serviços da lgreja, procissões, romarias, crismas, casamentos e todas as atividades diocesanas que porventura estejam programadas em todas as 46 Paróquias e Quase-Paróquias do território desta Diocese de Eunápolis, enquanto durar o estado de alerta”, diz a nota, referindo-se às orientações emitidas pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia.

O bispo ainda determina que “as Missas e outras ações litúrgicas sejam celebradas de modo breve”. “Recomenda-se que de acordo com a realidade local, os fiéis disponham de mais horários de missas, para que haja menor aglomeração de pessoas na igreja nessas celebrações”.

Confira a nota na íntegra:

COMUNICADO DIOCESANO

Aos reverendos sacerdotes, religiosos, religiosas, aos amados diocesanos desta Diocese de Eunápolis – Bahia

De acordo com as orientações emitidas pela Secretaria de Saúde do Estado da Bahia e diante das medidas tomadas em caráter emergencial pelo Excelentíssimo Governador do Estado, com ações preventivas ante a pandemia do CORONAVIRUS (COVID-19), para que não se alastre ainda mais e para que consigamos conter a transmissão do vírus, recomendamos a fiel observância de todos os protocolos definidos pelas autoridades competentes.

Ante as medidas expostas e cumprindo a Responsabilidade que me cabe de zelar pelo Povo de Deus, comunico a suspensão de todos os encontros que promovam a aglomeração de pessoas, tais como: encontros pastorais, atividades da catequese, atividades dos movimentos e dos serviços da lgreja, procissões, romarias, crismas, casamentos, e todas as atividades diocesanas que porventura estejam programadas em todas as 46 Paróquias e Quase-Paróquias do território desta Diocese de Eunápolis, enquanto durar o estado de alerta. As Missas e outras ações litúrgicas sejam celebradas de modo breve. Recomenda-se que de acordo com a realidade local, os fiéis disponham de mais horários de Missas, para que haja menor aglomeração de pessoas na igreja nessas celebrações.

A suspensão de todas as atividades elencadas neste comunicado é válida a partir de hoje, 17 de março de 2020, e deverá perdurar enquanto durar o tempo necessário. Durante esse período, recomendamos que as reuniões e os encontros inadiáveis ocorram sem público, ou seja, sejam realizados em ambiente virtual, fazendo bom uso das tecnologias disponíveis.

Em especial exorto os caros sacerdotes desta Diocese, a terem sempre presente, no exercício de seu ministério sagrado, que Deus nos chamou para sermos seus pastores e testemunharmos esse chamado, missão e compromisso em qualquer lugar e a qualquer tempo. O momento é de preocupação, prevenção e cuidado; mas também é um tempo de inquietação, medo, angústia e dor. Não podemos nos desesperar, mas também não devemos nos acomodar diante do CORONAVIRUS que vem se alastrando em todo o mundo. Estamos certos em nos preocupar com as ovelhas de Cristo, especialmente com os mais idosos e os demais que se encontram na zona de maior vulnerabilidade. Todavia, deixei-me abordar um aspecto que está sendo pouco falado. Trata-se do papel da lgreja no meio da pandemia do CORONAVIRUS. Além de cuidar de nossos idosos e de todos os que se encontram na zona de risco, o que é justo e prudente, devemos perceber a grande necessidade espiritual das pessoas que não têm a Jesus Cristo. Essas pessoas simplesmente não têm onde se segurar, onde colocar sua esperança. Eis o momento propício para que a lgreja aponte o rumo, mostre onde está a nossa esperança! Esse não é o momento para fecharmos as portas de nossas igrejas (templos). Hospitais e igrejas nunca devem fechar suas portas. Em nossa Diocese, as igrejas devem estar sempre abertas para acolher a todos que buscam a Deus. Se a crise evoluir, queira Deus que não evolua, vamos continuar orientando os fiéis a ficarem em suas casas, mas nós, chamados para sermos pastores, estejamos nas igrejas, ainda que sozinhos, mas de portas abertas para receber aqueles que acorrerão em busca de socorro e consolo (lembremos dos santos e santas, dos missionários e de todos os pastores que deram a vida em situações de calamidade).

Que Deus nos dê prudência e coragem. Que Deus nos dê o sentimento de Paulo quando escreveu: "Eu de boa vontade me gastarei e ainda me deixarei gastar em prol da vossa alma." (2Cor. 12,15). Que Deus nos dê o privilégio de honrarmos o legado de nossos pais na fé que foram corajosos em apresentar Cristo em momentos difíceis.

Enquanto estivermos neste ministério, não vejo que nenhum pretexto nos aproveitará se, pelo medo de contágio, formos achados faltosos no desempenho de nosso dever, quando na verdade se manifesta a maior necessidade de nossa assistência. Que Deus nos abençoe e nos dê coragem de testemunhar o Evangelho nesta hora. Nunca é demais reforçar a orientação para que as pessoas cuidem da higiene das mãos, se necessário usem máscara, tomem cuidado ao manipular objetos em locais públicos e permaneçam, na medida do possível, em suas casas. Unamo-nos a toda a Igreja pedindo a Deus neste Tempo propício da Quaresma que proteja todos os seus filhos.

 
 
 
 

Enquete

O que você acha do comportamento do presidente Bolsonaro diante da pandemia do novo coronavírus?




VOTAR PARCIAL