Por: Redação / atlanticanews
08/01/2020 - 19:30:57

O Fluminense de Feira desistiu de contratar o goleiro Bruno, que cumpre pena em regime semiaberto pelo assassinato e ocultação de cadáver da mãe de seu filho, Eliza Samúdio, em 2010.

A desistência foi anunciada nesta terça-feira (7), pelo presidente Ewerton Carneiro, o Pastor Tom, em entrevista coletiva na sede do clube.

Segundo Pastor Tom, o motivo foi a forte manifestação popular contrária à contratação.

"Esses dias foram de muita confusão para mim, para a diretoria, para o Fluminense de Feira, pro povo de Feira, para a minha família. A gente viu pessoas entrando na rede social, uns favoráveis, outros contra, inclusive falei ontem com Bruno, conversei com ele. E eu ouvi ontem também a imprensa de Feira, as pessoas nas ruas, procurei me basear também juridicamente do que poderia trazer negativamente ou positivamente para o Fluminense. No dia de hoje, depois da matéria que foi rodada ontem, repercutiu muito, muito, muito, muito, muito na Bahia, qual é a nossa conclusão quanto a Bruno? Nossa conclusão é que eu entendo que estamos em uma administração nova e não queremos polemizar. Muito pelo contrário. Nós queremos resgatar aquelas pessoas que iam para o estádio para que voltem ao estádio. Essa é a nossa preocupação, de trazer os torcedores de volta para o clube", justificou.

"Então nesse momento eu entrei em contato com o empresário de Bruno e disse: 'Ainda que o jurídico me deu um parecer que ele vai chegar com oito a dez dias, eu quero dizer que o Fluminense está desistindo da contratação do mesmo devido à manifestação popular. Foi um apelo da torcida, foi um apelo do povo, então só quem não ouve o povo é porque é maluco”, disse.

A matéria citada pelo dirigente foi um comentário feito pela apresentadora do Bahia Meio Dia Jéssica Senra, na segunda-feira (6). 

Em seu pronunciamento ao vivo após matéria sobre a contratação de Bruno pelo clube, a jornalista condenou que Bruno volte a ser colocado em posição de ídolo, como jogador profissional de futebol, o que passaria um recado errado a crianças e fãs do futebol sobre o que é ser ídolo.

“Eu ouvi a maioria, então nesse exato momento nós estamos desistindo de trazer Bruno para o município de Feira de Santana, respeitando a torcida, respeitando todas aquelas pessoas que falaram do crime hediondo que o mesmo fez. Olha que eu não estou aqui para julgar. A Bíblia é muito clara. Deus, numa parábola, ele fala: quem não tenha pecado que lance a primeira pedra. E todos que estavam ali saíram e se mandaram. Eu, como um pastor evangélico, tenho que lutar para ressocializar as pessoas, para que aquela pessoa venha a ser transformada. Como homem de Deus eu vou continuar fazendo isso, mas o apelo da torcida e da sociedade foi mais importante”, disse o dirigente.

O Fluminense está em fase final de preparação para o Campeonato Baiano, que estreia dia 22, contra o Atlético de Alagoinhas, fora de casa.

 

 


Enquete

Bolsonaro vetou obrigatoriedade de máscara em órgãos públicos, estabelecimentos comerciais e industriais, templos religiosos e locais fechados, mas não tem valor sobre decretos estaduais e municipais. O que você achou da decisão?




VOTAR PARCIAL