Por: G1
20/01/2020 - 18:48:13

Foi divulgado no Diário Oficial do Estado (DOE) de sexta-feira (10) o edital com o horário e locais da prova do concurso público para formação de oficiais da Polícia e do Corpo de Bombeiros Militar. O exame será no dia 19 de janeiro em setes cidades, incluindo Salvador. Ao todo, 112.335 candidatos se inscreveram no concurso.

O edital de convocação pode ser consultado no site do Portal do Servidor e também no site da organizadora do certame, o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC).

Conforme a Corregedoria Geral do Estado da Bahia (Saeb), as provas objetivas e discursivas, que contemplam a primeira e a segunda etapas do concurso, ocorrerão em 183 locais, distribuídos entre as cidades de Salvador, Feira de Santana, Juazeiro, Ilhéus, Vitória da Conquista, Barreiras e Itaberaba.

Os portões vão abrir às 8h. Já as provas devem começar às 9h15. A avaliação terá duração de cinco horas, e contará com 80 questões, incluindo gerais e específicas, além de uma redação. Os candidatos só poderão levar o caderno de questões depois de 4h30 do início da avaliação.

De acordo com a Saeb, os candidatos devem apresentar um documento de identificação oficial com foto impresso e em bom estado de conservação, além do cartão de convocação. Já a caneta deve ser na cor azul ou preta, e de material transparente.

O concurso foi aberto em outubro de 2019. Do total de vagas oferecidas, mil são destinadas para soldados da Polícia Militar da Bahia e outras 250 para o Corpo de Bombeiros Militar. A previsão é de que, até 2021, outras 1.250 vagas sejam abertas.

Ação da Defensoria Pública do Estado

A Justiça da Bahia suspendeu a cobrança de exames ginecológicos admissionais e a impossibilidade de remarcação do Teste de Aptidão Física (TAF) para gestantes. A decisão decorreu de uma ação movida pela Defensoria Pública do Estado (DPE/BA).

Segundo a DPE, a decisão da suspensão foi dada pela desembargadora Dinalva Gomes Laranjeira Pimentel, na quinta-feira (16). Apesar disso, as provas marcadas para os dias 19 e 26 de janeiro não foram suspensas.

Os defensores argumentaram que “as exigências violam os direitos dos candidatos, bem como os princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana, razoabilidade, proporcionalidade, isonomia e igualdade de gênero, já que existe a exigência de exames invasivos para as candidatas, o que não acontece com os concursandos homens”. A Polícia Militar pode recorrer da decisão.


Enquete

Você confia na decisão do presidente Bolsonaro sobre liberação da cloroquina no tratamento da Covid-19?




VOTAR PARCIAL