Por: Redação ge — Sakhir, Barein
01/12/2020 - 18:36:15

A pandemia de coronavírus fez o terceiro infectado entre os pilotos da Fórmula 1: o heptacampeão Lewis Hamilton. Os outros dois foram Sergio Pérez e Lance Stroll, ambos titulares da Racing Point. Desde a abertura do campeonato, em julho, F1 e Federação Internacional de Automobilismo (FIA) têm atuado em conjunto para minimizar os riscos de contágio entre os envolvidos com a categoria. O próprio Hamilton foi um dos pilotos que mais demonstraram preocupação com a doença ao longo do ano.

A adoção de protocolos dentro e fora dos autódromos tem sido rígida, e, antes do GP do Barein, 4887 testes para Covid-19 foram realizados entre os credenciados para o evento, com nove casos positivos. Estes foram impedidos de acessar o autódromo de Sakhir e isolados. A testagem constante tem evitado o contágio em massa, mas no caso de Hamilton, é a primeira vez que um piloto pega coronavírus entre GPs realizados em fins de semana seguidos.

 

O primeiro dos 20 pilotos do grid da Fórmula 1 que pegou coronavírus foi o mexicano Sergio Pérez, entre os GPs da Hungria e da Inglaterra, ainda no fim de julho. O piloto da Racing Point não desenvolveu sintomas graves e se isolou. Ficou afastado das duas corridas em Silverstone (GP da Inglaterra e GP dos 70 anos da Fórmula 1).

 

Pérez foi bastante criticado por ter viajado ao México depois da etapa da Hungria, mas o piloto alegou que tomou todos os cuidados para não pegar a doença e que só fez uma viagem tão longa para visitar a mãe, adoentada em seu país.             No começo de outubro, Lance Stroll foi o segundo piloto a contrair Covid-19. No fim de semana do GP do Eifel, em Nürburgring, os treinos de sexta-feira foram cancelados devido ao mau tempo, e o canadense acordou no sábado se sentindo mal, com diarreia. Não participou das atividades de pista e imediatamente foi embora da Alemanha em seu avião particular

 

Chegando ao Canadá, realizou um novo teste para coronavírus que deu positivo. Stroll ficou isolado até o começo da semana seguinte e, após testar negativo, foi autorizado a disputar o GP de Portugal. Lance foi muito criticado por ter deixado a Alemanha sem ter a certeza de que estava com o vírus, mas ele e a Racing Point alegaram que todos os protocolos foram seguidos.

 

Nos casos de Pérez e Stroll, o substituto foi o mesmo, Nico Hulkenberg. Fora da F1 após ser dispensado pela Renault no fim de 2019, o alemão foi chamado pela Racing Point para substituir Pérez na véspera dos treinos livres para o GP da Inglaterra. Após ficar em 13o lugar no grid, Hulk não largou devido a problemas no carro. No fim de semana seguinte, Nico foi o sétimo colocado no GP dos 70 anos da F1, também em Silverstone.    

                                              No GP de Eifel, Hulkenberg estava na Alemanha para participar de uma gravação com uma TV local quando, já no sábado, foi convocado novamente pela Racing Point às pressas. Nico viajou quatro horas de estrada e chegou à pista minutos antes do treino livre. Hulkenberg foi o 20o e último no grid, mas fez ótima corrida de recuperação e voltou a pontuar, em oitavo lugar.

 

Hulkenberg é um dos cotados para substituir Hamilton no GP de Sakhir, mas o mais provável é que a Mercedes escolha o belga Stoffel Vandoorne, reserva da equipe.


Enquete

Você acha que o governo do estado acertou ou errou ao coibir festas particulares no final de ano?




VOTAR PARCIAL